Total de visualizações de página

segunda-feira, 29 de agosto de 2011

APONTAMENTOS


Dia desses, antes de dormir, num momento de aflição falei em voz alta:

- Ahhh Bianca, me dê uma luz! O que eu faço, hein? Cade você pra me apontar a direção?

Aí, você, obediente como sempre foi, veio me visitar em sonho.
Você nos reuniu na sala de casa (eu, seu pai e seus irmãos), sentou ao lado da televisão e, sorrindo pra mim, disse:

- Mãe, aqui é o seu lugar.

Desde então, tenho pensado em algumas coisas.
Alguns sonhos são simplesmente sonhos.
Outros, são apontamentos.
Acredito nisso.
Você também acreditava...
Só quero que saiba que entendi seu recado, e estou tentando fazer com que as coisas aconteçam.
Obrigada por segurar minha mão... Seu pai me contou!
Coisas acontecem, né?
Ah, estive com a Laura anteontem.
Eu a encontrei por acaso, e é estranho olhar pra ela sem você estar ali ao lado.
É exatamente como aquela música que a gente sempre adorou: “Avião sem asa, fogueira sem brasa, sou eu assim sem você”...
Falta um pedaço.
Falta um pedaço em mim, nela e em todo mundo que tinha você no coração.
Se você estivesse aqui hoje, acho que teríamos um daqueles dias de ‘mãe em fúria’.
Queria te contar que mais um dos seus queridos foi preso.
O seu preferido foi 'visitar' a Fundação Casa.
Como você pôde ser tão idiota?
E mais uma vez, te diria:

- Eu sabia que ele era um lixo, você achou que estava enganando quem?

Tenho muita pena da mãe dele.
Às vezes, fico pensando se é pior ter um filho morto ou um filho bandido...
Eu amo você e seus irmãos com toda a força do mundo, mas se um de vocês caísse na bandidagem, eu viraria as costas no mesmo momento.
Sem dó.
Por isso, quero que a Laura acorde.
Quero que ela conviva com gente boa, gente que tenha uma ambição mais saudável do que ‘ganhar a vida’ vendendo crack.
Falei pra ela se olhar no espelho com carinho e pensar no futuro dela.
Espero que ela me ouça...
Lavei seus bichinhos de pelúcia. Seu pai montou um ‘altar’ com eles, e eu não gosto disso.
Alguns, eu já tinha lavado e guardado, mas ele os pegou de onde estavam e colocou um em cima do outro na prateleira do quarto.
Cada vez que eu colocar os pés em casa, vou desfazer um pouco desse culto às suas coisas.
Você está dentro do meu coração, e deve estar dentro do coração dele também.
Suas coisas serão guardadas...
Nossos bichos estão lindos!
A Morgana, carente.
A cozinha, vazia.
Num determinado momento, debrucei no balcão e reparei que as nossas cadeiras estavam afastadas da mesa, como se nós duas estivéssemos acabado de levantar dali e as deixado displicentes no meio da cozinha.
Saudade de você...
Saudade do seu cheirinho...
Saudade de você viva.



3 comentários:

  1. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  2. Ah mano, aaaaah mano :(
    Falta um pedaço de mim? Falta eu inteira, aquela menina era minha cabeça e meu corpo. Eu não dava um passo sem ela saber.
    Ah mano. :/
    Eu te tenho como uma segunda mãe, gabi. Mesmo não tendo tanto contado, levo muito em consideração suas palavras, e só tomei a atitude que tomei, pelo que você me disse. Obrigada! Amo você!

    ResponderExcluir
  3. Olá! Eu não conhecia sua filha, mas acabei "caindo" no seu blog por acaso. Li todas as postagens. Me emocionei com sua força para continuar nessa vida, sei como é parte dessa dor, perdi pessoas queridas também e precisamos conviver com essa dor diariamente. Te desejo (mais) força para continuar nessa vida, pelos seus outros filhos. Gostaria de dizer que isso um dia vai passar, mas não é verdade, mas posso te dizer para guardar sempre com carinho as lembranças de tua filha. Abraços sinceros.

    ResponderExcluir

Por favor, deixe um email para contato.